Doença Ocupacional em Otorrinolaringologia

Doença Ocupacional em Otorrinolaringologia

A Otorrinolaringologia atua também no campo de Doenças Ocupacionais, atendendo profissionais das mais diversas áreas da atuação, tanto no tratamento, como na prevenção, orientação e acompanhamento destes pacientes.

Na Otologia encontramos lesões da membrana do tímpano, do labirinto e mesmo otites da orelha média causadas por trauma por pressão (barotraumas) em aviadores e mergulhadores profissionais, sendo que estes últimos ainda estão expostos da otite externas crônicas.

A Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR) em ambiente profissional é uma das principais doenças relacionadas à ocupação no mundo, e acomete quem trabalha submetido a alto nível de exposição sonora, mesmo com Equipamento de Proteção Individual (EPI), como trabalhadores da indústria metalúrgica, tecelagem, serralheiros, motoristas e trabalhadores de casas de show expostos a som alto, como barman, garçons, produtores musicais, músicos e cantores.

A Rinologia atende casos de rinites em trabalhadores expostos a produtos químicos, poeira e pó químico, assim como trabalhadores expostos a ambientes térmicos, como que atuam em câmaras frias.

A Laringologia atende principalmente as doenças da voz relacionadas ao trabalho que levam à dificuldade da emissão da voz, impedindo ou dificultando a produção da voz natural e comprometendo a atuação profissional. Na investigação diagnóstica, podemos encontrar uma lesão nas cordas vocais ( pregas vocais), ou mesmo podemos encontrar a chamada Disfonia Funcional, em que  ocorrem alterações do funcionamento das pregas vocais, sem uma lesão estrutural. Estas doenças da voz acometem principalmente os operadores de telemarketing, professores, pastores, cantores, atores, dubladores, jornalistas, radialistas e vendedores. A Otorrinolaringologia pode ainda, em atuação multidisciplinar com a Fonoaudiologia, atuar na prevenção, controle e reabilitação de muitas lesões nas pregas vocais.