Videoendoscopia da deglutição

A deglutição é um mecanismo automático que nos acompanha desde a vida fetal. Ela pode ser tanto involuntária (quando engolimos saliva ao longo do dia) quanto voluntária (quando queremos comer algo) e consiste no ato de levar o conteúdo da boca até estômago.

 

O ato de deglutir consiste nas seguintes fases:

 

  • fase preparatória: ao se deparar com o alimento, olfato e a visão estimulam a produção de saliva;

 

  • fase oral: captamos o alimento pela boca com ajuda dos lábios e então começamos o preparo do bolo alimentar, misturando o alimento e a saliva, através da mastigação e da movimentação da língua;

 

  • fase faríngea: o bolo alimentar já preparado é levado para parte mais posterior da boca, a orofaringe e hipofaringe, para que seja conduzido ao esôfago;

 

  • fase esofágica: o alimento é direcionado ao estômago através dos movimentos peristálticos do esôfago.

 

A avaliação funcional através da VIDEOENDOSCOPIA DE DEGLUTIÇÃO tem como objetivo avaliar transtornos relacionados as fases oral e, principalmente, a fase faríngea da deglutição.

 

A VIDEOENDOSCOPIA DA DEGLUTIÇÃO é realizada pelo médico otorrinolaringologista com auxílio de um aparelho chamado Nasofibroscópio flexível, sem o uso de medicações anestésicas para não comprometer os reflexos da região da faringe e laringe.

 

Pode ser realizado tanto em adultos como em crianças e é indicado em pacientes com queixa de engasgos com saliva ou engasgos durante a alimentação, além de outras dificuldades para se alimentar, principalmente em pacientes com doenças neurológias, doenças neurodegenerativas, AVC (acidente vascular cerebral), pacientes com traqueostomia ou que apresentam pneumonias de repetição.

 

Durante o exame são oferecidas amostras alimentares da dieta habitual do paciente, coradas com azul de anilina (corante comestível) nas consistências de líquido, líquido espessado, astoso e sólido, a depender da dieta que o paciente estiver recebendo no momento.

 

É possível então observar a contração dos músculos da faringe, a presença de resíduo alimentar, e sinais de penetração e aspiração do alimento ou da saliva para a via aérea em direção aos pulmões.

 

O exame é gravado em Mídia Digital. O paciente e o médico solicitante recebem tanto o relatório quanto as gravações do exame. Com os dados observados durante o exame pode-se definir o grau de disfagia e orientar o médico assistente a definir a via de alimentação, oral ou alternativa, assim como terapias fonoaudiológicas.

Agende sua consulta conosco